Estudo da UFRGS confirma ineficácia do isolamento social

Pesquisadores compararam a relação com confinamento e o número de mortes por covid-19.

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) assegurou que o isolamento social é ineficaz contra a covid-19. O estudo foi publicado na revista científica Scientific Reports no mês passado.

Os cientistas analisaram a relação entre o confinamento e o número de mortes por covid-19, através de informações obtidas por meio do índice de mobilidade do Google, em uma série estatística coletada de fevereiro a agosto de 2020.

Ao todo, foram analisados 87 locais diferentes: 51 países, 26 Estados — mais o Distrito Federal — e seis capitais no Brasil (Manaus, Fortaleza, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre), além de três grandes cidades de outros países (Tóquio, Berlim e Nova York).

A pesquisa revelou que 98% das áreas estudas mostraram ineficácia do “fique em casa” e a redução de óbitos. Apenas 1,6% das amostras, do total de 3.741 combinações mostram diferença significativa.

Um estudo similar, do banco J. P. Morgan, mostra que o lockdown não tem efeito no enfrentamento da pandemia: “O patógeno tem sua própria dinâmica, não relacionada às medidas muitas vezes inconsistentes de lockdown”.